Pedro Sousa assegura para Portugal 40 títulos em torneios Challengers


Pedro Sousa deu a Portugal o 40º título em torneios da categoria Challenger, desde que os tenistas nacionais começaram a ter contacto com este escalão nos finais nos anos 80. Foi o culminar de duas semanas consecutivas de sucesso ao cumprir-se mais um feito inédito : depois de João Sousa conquistar o Millennium Estoril Open foi a vez de Pedro Sousa a vencer o Braga Open.

Com a vitória no Braga Open, Pedro Sousa somou a 4ª vitória em Challengers, elevando para 40 o número de troféus arrecadados por 9 jogadores nos últimos 29 anos.

O Braga Open foi realizado pela primeira vez e contou com o apoio da Federação Portuguesa de Ténis e da Câmara Municipal de Braga, tendo sido garantida a sua continuidade para 2019.

Em provas nacionais neste escalão, Pedro Sousa, de 29 anos, sucedeu a João Sousa, que tinha sido o último jogador a conquistar um Challenger em casa, mais precisamente em Guimarães, em 2013, entre 22 e 28 de Julho.

 

Integrado na estrutura do CAR Jamor Jogos Santa Casa e sob a coordenação de Rui Machado (curiosamente o português com o maior número de títulos Challenger, 8), Pedro Sousa ascendeu 15 lugares no ranking mundial, ocupando esta semana o 129º posto, sendo o nº 3 nacional, a seguir a João Sousa e Gastão Elias.

 

Um milhão de dólares na competição

Esta vitória de Pedro Sousa vai de encontro ao trabalho que tem sido desenvolvido pela Federação Portuguesa de Ténis no apoio a uma série de eventos internacionais. Ao todo, o valor global eleva-se a um milhão de dólares, designadamente nos Futures (19 masculinos e 20 femininos) e nos dois Challengers (Braga e Lisboa Belém Open, a decorrer esta semana).

Os jogadores têm, finalmente, à sua disposição um quadro competitivo de elevado nível, que lhes permite conquistar pontos, tendo todos eles o devido enquadramento técnico, através do CAR Jamor Jogos Santa Casa.

 

Portugueses vencedores de Challengers:

 

RUI MACHADO, 8

2011: Marraquexe, Rijeka, Poznan e Szczecin

2010: Nápoles e Assunção

2009: Méknes e Atenas

 

GASTÃO ELIAS, 7

2017: Campinas

2016: Turim e Mestre

2015: Lima e Guayaquil

2013: Santos

2012: Rio de Janeiro

 

FREDERICO GIL, 6

2010: Milão

2009: Nápoles

2008: Sassuolo e Istambul

2007: Sevilha

2006: Sassuolo

 

JOÃO SOUSA, 5

2013: Guimarães e Furth

2012: Mérsin e Tampere

2011: Furth

 

NUNO MARQUES, 5

1996: Açores e Ahmedabad

1995: Açores

1989: Madeira e Vilamoura

 

PEDRO SOUSA, 4

2018: Braga Open

2017: Francavilla, Liberec e Como

 

JOÃO CUNHA E SILVA, 3

1995: Monterrey

1990: Turim e São Paulo

 

JOÃO DOMINGUES, 1

2017: Mestre

 

EMANUEL COUTO, 1

1995: Punta del Este

 

Norberto Santos, jornalista

 

Copyright © 2018 - Federação Portuguesa de Ténis

Todos os direitos de reprodução reservados. Nenhuma parte deste site pode ser vendida ou reproduzida por qualquer sistema ou meio (inclui fotografias ou vídeos) sem a autorização por escrito à Federação Portuguesa de Ténis.